Google+ Followers

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

EXERCÍCIO PARA O CÉREBRO Nº 2

Você gostaria de ver se o lado direito do seu cérebro está funcionando corretamente? 

Então faça esse teste e descubra agora mesmo.
Abaixo você vê uma imagem. Nela tem uma face de um homem escondida entre as sementes.
Agora pegue um relógio e veja quanto tempo você demora para achar o homem.
Não achou?
   
Ele está na parte inferior da imagem do  lado esquerdo.

Agora veja o seu resultado. Se você achou o homem em:

- até 3 segundos: o lado direito do seu cérebro é mais desenvolvido do que o cérebro de pessoas normais.

- até 1 minuto: o lado direito do seu cérebro é normalmente desenvolvido.

- de 1 a 3 minutos: o lado direito do seu cérebro está reagindo lentamente, e você deveria ingerir mais proteína.

- mais de 3 minutos: o lado direito do seu cérebro é extremamente lento. Você deveria assistir mais desenhos para ajudar a desenvolver o seu cérebro direito. 


FONTE:




USO DO TAMPÃO NO OLHO PREGUIÇOSO

Você já viu uma pessoa usando tampão no olho,  na rua e se perguntou o porquê daquilo? A resposta é simples: ambliopia, ou olho preguiçoso. Ao contrário do que se pensa, o olho bom é o tampado. Isso é feito para forçar o cérebro a utilizar mais a outra vista.
A ambliopia acontece quando um olho enxerga melhor que o outro. Por receber imagens desfocadas de uma das vistas, o cérebro passa a deixá-la de lado e utilizar a outra com maior freqüência.
São várias as causas que podem tornar a vista “preguiçosa”: diferença nas graduações dos olhos, estrabismo, movimentos de oscilação involuntário de um dos olhos e não tratamentos de doenças como catarata.
Ter um vista preguiçosa pode gerar diversos problemas a longo prazo. A perda da visão tridimensional é a principal disfunção que pode ser causada pela ambliopia, além do estrabismo.
A percepção da ambliopia em adultos é mais fácil que nas crianças. Para saber melhor sobre a ambliopia procure seu oftalmologista.
FONTE:

REATECH 2013




A maior Feira de Tecnologias em Reabilitação,  Inclusão e Acessibilidade.
 

A questão da inclusão não é apenas de direito, mas de exigência da realidade.
Por exemplo, a acessibilidade dos prédios públicos, que já deveria estar toda pronta, ainda está próximo do nada.
Os shopping centers estão em sua grande parte adaptados, mas as lojas ainda não se adequaram a essa realidade. Será que um cadeirante consegue testar roupas nos provadores?
A hotelaria tem destinado alguns quartos dentro da sua estrutura e faltam equipamentos adaptados.
Os aeroportos são um caos em termos de adaptação. O crescimento da malha aérea obriga a maioria dos voos de ser atendidos em terra, com sistema de transporte de ônibus e de escadaria para subir na aeronave.
Incrível que há hospitais com centros de reabilitação que não são acessíveis.
Enfim, chega de cobranças. Chega de promessas. Chegou a hora de a inclusão acontecer. Existem normas, legislações variadas e rigorosas.
Existem tecnologias e todas elas estão presentes na Reatech, pois os visitantes buscam em todas as edições as soluções nos estandes.
A hora é agora. Se a sua empresa tem tecnologias para acessibilidade, reserve já o seu estande e participe deste movimento pela INCLUSÃO JÁ!

FAÇA SUA INSCRIÇÃO:

ACESSIBILIDADE: AUDIODESCRIÇÃO


TEATRO VIVO






Teatro, Acessibilidade e Audiodescrição.

Este vídeo é uma reportagem do Programa Sentidos, produzida pela TV Sentidos e sua repórter Alessandra Nunes, mostrando a técnica da audiodescrição produzida pelo grupo de audiodescritores da VIVO, orientado pela audiodescritora Lívia Maria Villela de Mello Motta, na peça "Figurinha Carimbada, passada no Teatro Alfa, da VIVO, no mês de julho de 2008.

PARA SABER MAIS:

http://www.blogger.com/blogger.g?blogID=380111342176124535#editor/target=post;postID=1048626447631061577

IDENTIFICANDO NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS Nº 1

A educação é um direito de todos e PARA TODOS;  a escola deve se adequar às necessidades educacionais de seus alunos. Pessoas com  Necessidades Educativas Especiais. porém  não  somente, os com deficiências, mas a todoscada um com sua  peculiaridade . Veja o  que trata neste trecho da Resolução:

RESOLUÇÃO CNE/CEB No. 02/2001 Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica

Art. 2º Os sistemas de ensino devem matricular todos os alunos, cabendo às escolas organizar-se para o atendimento aos educando com necessidades educacionais especiais, assegurando as condições necessárias para uma educação de qualidade para todos.

Art. 5º Consideram-se educandos com necessidades educacionais especiais os que, durante o
processo educacional, apresentarem:
I - dificuldades acentuadas de aprendizagem ou limitações no processo de desenvolvimento que
dificultem o acompanhamento das atividades curriculares, compreendidas em dois grupos:
a) aquelas não vinculadas a uma causa orgânica específica;
b) aquelas relacionadas a condições, disfunções, limitações ou deficiências;
II – dificuldades de comunicação e sinalização diferenciadas dos demais alunos, demandando a
utilização de linguagens e códigos aplicáveis;
III - altas habilidades/superdotação, grande facilidade de aprendizagem que os leve a dominar
rapidamente conceitos, procedimentos e atitudes.

Entre no site e saiba mais:

Fonte: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CEB0201.pdf

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

CORTELLA NOS LEVA A REFLETIR SOBRE AS CARACTERíSTICAS DE UM BOM PROFESSOR.




O Referencial para o Exame Nacional de Ingresso na Carreira Docente reconhece que nem todos podem ser avaliados por provas ao listar características de bons professores.


20 CARACTERÍSTICAS DO PROFESSOR IDEAL

1. Domina os conteúdos curriculares das disciplinas.
2. Tem consciência das características de desenvolvimento dos alunos.
3. Conhece as didáticas das disciplinas.
4. Domina as diretrizes curriculares das disciplinas.
5. Organiza os objetivos e conteúdos de maneira coerente com o currículo, o desenvolvimento dos estudantes e seu nível de aprendizagem.
6. Seleciona recursos de aprendizagem de acordo com os objetivos de aprendizagem e as características de seus alunos.
7. Escolhe estratégias de avaliação coerentes com os objetivos de aprendizagem.
8. Estabelece um clima favorável para a aprendizagem.
9. Manifesta altas expectativas em relação às possibilidades de aprendizagem de todos.
10. Institui e mantém normas de convivência em sala.
11. Demonstra e promove atitudes e comportamentos positivos.
12. Comunica-se efetivamente com os pais de alunos.
13. Aplica estratégias de ensino desafiantes.
14. Utiliza métodos e procedimentos que promovem o desenvolvimento do pensamento autônomo.
15. Otimiza o tempo disponível para o ensino.
16. Avalia e monitora a compreensão dos conteúdos.
17. Busca aprimorar seu trabalho constantemente com base na reflexão sistemática, na autoavaliação e no estudo.
18. Trabalha em equipe.
19. Possui informação atualizada sobre as responsabilidades de sua profissão.
20. Conhece o sistema educacional e as políticas vigentes.


Fonte: Adaptado de Referenciais para o Exame Nacional de Ingresso na Carreira Docente - Documento para Consulta Pública, MEC/Inep.
http://revistaescola.abril.com.br/formacao/formacao-continuada/vinte-caracteristicas-professor-ideal-604361.shtml 
http://consultaexamedocente.inep.gov.br/publico/download/Referenciais_para_o_Exame_Nacional_de_Ingresso_na_Carreira_Docente.pdf 

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

DEFICIENTES VISUAIS E O ENSINO DA MATEMÁTICA Nº 2



 SOROBAN

É um ábaco, para aprender a contar. Mas é um ábaco japonês, diferente, com apenas cinco contas, ou pedrinhas (como preferir chamar agora) em cada ordem numérica. È o recurso usado com as pessoas com Deficiencia Visual.
O seu uso sofreu uma série de aperfeiçoamentos que geraram técnicas extremamente rápidas para executar qualquer cálculo: adição, subtração, multiplicação, divisão, raiz quadrada e outros.
O uso  não é restritos aos deficientes podendo qualquer pessoa utiliza-lo.
A parte mais interessante e intrigante com certeza é o uso da mesma técnica para fazer cálculos mentais. Treinando as operações no Soroban, vai-se aos poucos adquirindo as mesmas habilidades para fazer cálculos mentalmente de algarismos enormes, para os padrões ensinados nas escolas.
O nome Soroban (com "N") foi trazido ao Brasil por imigrantes japoneses no começo do século XX. Originalmente Kambei Moori leva para o Japão o Suan Pan (ábaco chinês) e um pequeno manual, iniciando os seus estudos sozinho com este instrumento. Em 1622 publica o seu primeiro livro "Embrião do Soroban".
No Brasil, em 1949, Joaquim Lima de Moraes, adapta o Soroban para uso de cegos, após aprender a técnica ensinada por imigrantes japoneses, abrasileirando o termo para Sorobã.
Então temos dois modelos no Brasil:
  • - Soroban: para videntes (como chamamos os dotados de visão);
  • - Sorobã: o mesmo, mas adaptado para deficientes visuais.
Ambos podem ser utilizados, e os cálculos são praticamente realizados de forma igual nos dois modelos. A manipulação no Soroban (com "N") é mais rápida pois as contas correm livremente, diferentemente do Sorobã, onde as mesmas são presas, mas ambos geram uma aptdão em comum: o cálculo mental.
No Brasil, pelo Sorobã ter substituído o Cubarítmo nas aulas de cáculo, a mídia menciona o ábaco japonês, Soroban, como exclusividade para deficientes visuais. Pretendemos aqui deixar bem claro que trata-se de um instrumento extremamente útil para AMBOS, inclusive videntes.

  • Haste do meio: divide o Soroban em parte superior e inferior;
  • - Parte superior;
  • - Parte inferior;
  • - Hastes verticais: por onde movimentam-se as contas;
  • - Pontos de referência: para localizar as ordens de cada classe;
  • - Contas superiores: cada tem valor numérico 5;
  • - Contas inferiores: cada tem valor numérico 1;
  • - Moldura: geralmente de madeira ou de plástico.
  • Os números básicos de 00 a 09:


O Soroban utiliza a base decimal para representar os números.
Antes de representá-los, precisamos entender sua estrutura:
 
 


FONTE:

 

FICHAS DE MATEMÁTICA PARA OS ALUNOS COM DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM E ALUNOS COM DEFICIÊNCIA n°1


Prancha  adaptada com fita crepe,  auxilia o aluno com mobilidade reduzida a montar sua sequência numérica.

As fichas terão cores para os alunos realizarem associações

A sobreposição auxilia no entendimento e uso do (0) Zero

Os números móveis facilitam o entendimento padronizado da sequência numérica.
A fita crepe da seguraça ao aluno para construir e entender a sequência numérica.

O orientador dita e o aluno tem a flexibilidade de entender o erro cometido. Vizualizando ou não a sobreposição.


As cores representam a ordem das classe e sua nomenclatura.

A aluna acredita que construiu o número 45. Pode refletir e realizar a sobreposição correta.



A sobreposição correta, após intervenção do orientador.

Para saber mais:
http://revistaescola.abril.com.br/matematica/fundamentos/pai-didatica-matematica-427127.shtml

DEFICIENTES VISUAIS PODEM SE VESTIR SOZINHOS COM AJUDA TECNOLÓGICA

Cabide que fala ajuda deficientes visuais a escolher o que vestir

Chip instalado no acessório armazena mensagens gravadas anteriormente e as reproduz quando botão é acionado. Primeiro modelo já foi aprovado.

Como escolher a roupa no armário? Tarefa difícil para quem não enxerga. “Ele tem que fazer o quê? Tem que memorizar a posição e a textura daquilo que ele guardou dentro do armário”, explica a terapeuta ocupacional Neila Vieira de Souza.
E se o cabide avisasse o que está pendurado nele? “Bom dia, eu sou seu blazer rosa”, anuncia a voz no cabide. A ideia surgiu de duas irmãs donas de uma fábrica em Petrópolis, Região Serrana do Rio. “Minha irmã é pedagoga, trabalha com deficientes visuais. Então os alunos se queixavam muito dessa necessidade organizacional de como se vestir, como melhor aproveitar o seu dia a dia”, lembra Adriana Sêmola, dona da fábrica.
O segredo está em um chip instalado dentro, que armazena as mensagens e é ligado a um alto-falante. É preciso apertar um botão atrás para gravar, como “Esta é a sua camisa azul turquesa”, e ouvir ao acionar outro botão na frente.
O cabide também tem o conceito de sustentabilidade. É feito com sobras de madeira reciclada. A dificuldade, por enquanto, é encontrar uma empresa que fabrique um chip semelhante no Brasil. O do modelo atual foi importado da China. A fábrica vai produzir agora 500 peças e distribuir em instituições de atendimento a deficientes visuais e em uma feira do setor em abril.
Luis Benedicto está entre os mais de 6,5 milhões de brasileiros cegos ou com grande dificuldade de enxergar. Ele aprovou a invenção. “A facilidade de ter a livre escolha da roupa que você quer, da camisa que você quer”, comenta ele. “Vai apertando os botõezinhos e vai vendo qual é a camisa”, completa.

Fonte: http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2013/02/cabide-que-fala-ajuda-deficientes-visuais-escolher-o-que-vestir.html

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Aprovação/Reprovação do Deficiente Intelectual e do Desenvolvimento - do filme Simples como amar



Neste trecho, Carla e Daniel vão ao Baile Hallowen da escola. Após anunciarem que as notas já estavam disponíveis, vão juntos ver o resultado. Carla fica muito feliz por ter passado em uma escola comum, porém Daniel fica triste porque não conseguiu passar e faz um desabafo.

A cena permite discutir o preconceito que vivenciam e os sentimentos de alunos especiais inclusos que não conseguem atingir os mesmos resultados que os alunos ditos "normais", bem como daqueles que conseguem. Decisão importante para a equipe escolar.

Palavras-chave: deficiência Intelectual, relações familiares, escola, notas, aprovação, reprovação, alegria, tristeza, preconceito, vergonha.

Fonte: (The Other Sister), 131min, 1999 (EUA) - Direção: Garry Marshall.

INCLUSÃO TRABALHISTA ÁS PESSOAS COM DEFICIÊNCIAS

Declarado 2013 como Ano Iberoamericano para inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho

Chefes de Governo e de Estado da Península Ibérica e da América Latina reconheceram a necessidade de fortalecer políticas públicas e assegurar a inclusão trabalhista às pessoas com deficiência.
Pessoa com deficiência no trabalho: inclusão em 2013
Com base em dados do Relatório Mundial sobre a Deficiência, da Organização Mundial da Saúde – OMS, 15% da população mundial tem algum tipo de deficiência e cerca de 90 milhões desse total vivem na região ibero-americana.

A 22ª Cúpula Iberoamericana, em Cádiz, Espanha, declarou 2013 como o “Ano Iberoamericano para inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho”.
 
A predominância de deficiências é maior nos países de baixa renda e na população feminina, segundo esse mesmo relatório.
Chefes de Governo e de Estado da Península Ibérica e da América Latina reconheceram, em comunicado oficial, a necessidade de fortalecer políticas públicas e assegurar a inclusão trabalhista às pessoas com deficiência.
No documento aprovado na cúpula de Cádiz, os líderes consideram que cerca de 80% das pessoas com deficiência em idade laboral estão desempregadas por falta de acessibilidade, bem como de conscientização do setor privado sobre o potencial destas pessoas.

PARA SABER MAIS

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

DEFICIENTES E O ENSINO DA LETRA BASTÃO CAIXA ALTA X LETRA CURVISA

Os deficientes e alunos com dificuldade de aprendizagem deve aprender com letra BASTÃO CAIXA ALTA para depois passar para a CURSIVA.


Durante o  processo da  construção da escrita e apropriação do sistema alfábético, todaa criança passa por  hipóteses da escrita (Ferreiro). Neste processo as crianças de modo geral pensam como, quais e quantas letras são necessárias para escrever as palavras. 
Com o uso da letra cursiva este processo pode se alongar ou até mesmo estagnar

As letras  maiúsculas  caixa alta são as ideais para essae rabalho, já que será possivel visualizar as unidades gráficas de modo isolados e com traçado simples - diferentemente das cursivas, emendadas umas à outras.
 Imagine estes escritos para os alunos que apresentam deficiências, o quanto este processo irá ser dificultoso.



Sabemos que a apresentação  das chamadas "letras de mão" deve ser sim serem apresentadas a elas desde o inicio , quando se tronarem  alfabéticas,  farão a transferencias sozinhas .
Antes de estarem alfabetizadas, elas entram em contato naturalmente com as letras cursivas e as de fôrma minúscula e até podem ser apresentadas a elas, desde que tal contato fique restrito à leitura.

Importante:

  • Não se deve antecipar o processo de ensino da escrita cursiva. 
  • Exigir da criança que comece a escrever a letra cursiva  antes de ela ter maturidade cognitiva e motoras necessárias que costumam surgir em torno dos 6 a 7anos.
  • No caso dos Deficientes esta maturidade cognitiva e motora podem  ocorrer mais tardio.
  • A exigencia da" letra de mão!  tende a resultados de frustação, baixa auto-estima, letra ilegível que podem comprometer o sucesso escolar no futuro dos alunos de modo geral.

OPORTUNIDADES DE TRABALHO


CAT está com 439 vagas temporárias, com destaque para 145 oportunidades no Cirque du Soleil


O Centro de Apoio ao Trabalho (CAT) está com 439 vagas temporárias disponíveis aos trabalhadores para a próxima semana. São vagas para o comércio e empresas, com destaque para a área do entretenimento que oferece 145 vagas para o Cirque du Soleil.

Reconhecido mundialmente, o Cirque du Soleil está chegando ao Brasil com o espetáculo Corteo e o Centro de Apoio ao Trabalho auxiliará na seleção para vagas de ajudante de cozinha, atendente de lanchonete, atendente de mesa, camareira de teatro, costureira geral, cozinheiro geral, estoquista, garçom, operador de caixa, vendedor interno, recepcionista entre outras.  Os salários variam de R$ 898,00 para atendente de lanchonete, por exemplo, a R$ 1.400,00 para camareira de teatro, ambas exigindo o ensino médio completo. Alguns cargos exigem o inglês fluente e experiência anterior. As atividades serão desenvolvidas por pouco mais de três meses, sendo que o espetáculo tem estreia programada para 30 de março em São Paulo.

Páscoa - As unidades do CAT ainda disponibilizam vagas temporárias para o período de Páscoa. São 35 vagas para auxiliar de cozinha, sem exigência de experiência, salário de R$ 800,00, com fundamental completo. Também há oportunidades para auxiliar de vendas, embalador, operador de caixa e vendedor de comércio varejista.

Os interessados podem se cadastrar em todas as unidades fixas e móveis do CAT espalhadas pela cidade, munidos de RG, CPF, Carteira Profissional e número do PIS. Os endereços e outras informações estão disponíveis no site www.prefeitura.sp.gov.br/trabalho e na Central de Atendimento ao Munícipe pelo telefone 156.


Contatos das Assessorias de Comunicação:
Time for Fun
Guilherme Oliveira
+5511 3576-1442
+5511 9 7699-5039


Postagem em destaque

Psicoterapia no centro de Poá/SP

Fazer terapia é uma ferramenta que nos permite melhorar nossa qualidade de vida! Psicoterapia no centro de Poá/SP Contato: (11) 3426-5250...