Google+ Followers

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

ESPORTES ALTERNATIVOS - CEU EMEF LAJEADO

DEFICIENTE INTELECTUAL E A MATEMÁTICA



Algumas crianças aprendem mais rapidamente do que outras; algumas aprendem mais vagarosamente que seus companheiros da mesma idade e, conseqüentemente, têm dificuldades em se adaptar às demandas sociais”. (Kirk, 1979).




Assim se faz necessários estratégias de ensino aprendizagem, que facilitem a aprendizagem.


Material concreto com apoio de consulta para o trabalho das operações.


EDUCAÇÃO FÍSICA INCLUSIVA



A Educação Física em tempos passados não atendia as necessidades dos alunos com baixo rendimento físico e também não cooperava para paradigmas da inclusão se mantendo por tempos excludente


As práticas das aulas da educação física preocupava em atender o alto rendimento atender as suas manifestações, assim não se adequava às diferentes maneiras dos alunos e suas capacidades.

Com a proposta da educação inclusiva vislumbramos novas possibilidades, para tornar-se inclusiva e atender as diferenças de nossos alunos.

O Projeto irá envolver os alunos do qual irá ousar na busca de novas estratégias, com parceiras eliminando barreiras que impedem a participação dos alunos com deficiências.

Com os Esportes Alternativos, sendo Badminton Skate, Slackline, Stand up paddle acreditamos poder revolucionar e criar maneira de incentivo aos alunos de buscar o desenvolvimento nos esportes.

O projeto visa o desenvolvimento integral das crianças, jovens e adolescentes, capacita o sujeito a lidar com suas necessidades, desejos e expectativas, bem como, com as necessidades, expectativas e desejos dos outros, de forma que o mesmo possa desenvolver as competências técnicas, sociais e comunicativas, essenciais para o seu processo de desenvolvimento individual e social, principalmente no trato dos alunos com deficiências e de vulnerabilidade social.

Visto que Esporte é um campo aberto para a exploração de novos sentidos/significados, abrindo portas para o campo pedagógico ou seja, permite que ação como esta diminua a desmotivação dos alunos nas diferentes situações. Além de ampliar o campo experimental do indivíduo, cria obrigações, estimula a personalidade intelectual e física e oferece chances reais de integração social.

Pensamos em Esportes Alternativos. Devido a emoção e o prazer de se exercitar praticando esportes ainda "desconhecidos" pela grande massa faz com que o aluno alcance diferentes maneiras de aprender um movimento e de se integrar ao meio social.

Ensinar a prática de esportes alternativos é preparar o aluno para executar determinadas habilidades por meio da descoberta do prazer de se exercitar. Tudo isso envolvendo segurança, bons profissionais e educadores sempre por perto.

Através destas aulas é possível adequar as disciplinas dadas em sala de aula, mostrando e fazendo com que a criança se desenvolva melhor.



Público-alvo do Projeto CEU Lajeado de Portas Abertas aos Esportes Alternativos

Alunos do 3º ano, 6º Ano A e 9º Anos.



6. MODALIDADES

  • Badminton

O badminton é um esporte curioso para nós brasileiros, pelo fato de não fazer parte do nosso cotidiano e cultura. Afinal, você já ouviu falar no badminton? O que você conhece desse esporte?Em poucas palavras, badminton é um esporte jogado individualmente ou em duplas, em uma quadra dividida por uma rede no meio. Muito parecido com o tênis, é jogado com raquetes e, ao invés da bolinha amarela, o objetivo a ser rebatido é uma peteca.

Fonte: http://www.brasilescola.com/educacaofisica/badminton.htm

  • Skate

A origem do Skate ocorreu no fim da década de 1950 quando o skate era praticado depois do surf na região de Malibu, era uma pranchinha com rodas e todas as manobras eram inspiradas nas manobras de surf da época. 1963 o skate caiu no gosto dos adolescentes como um esporte alternativo. Os principais fabricantes montaram suas próprias equipes conforme as competições começaram a surgir. Por um breve momento o Skate ganhava popularidade nos EUA, mas em 1965 a moda tinha passado e o skate já era. No começo dos anos 70 o skate era um brinquedo velho e só quem realmente gostava é que andava de skate. Naquela época era quase impossível encontrar um skate então era preciso construir um. Como alternativa pegavam um patins velho, separavam os eixos com rodas de argila e prendiam em um pedaço de madeira forte, serrada no formato de uma prancha.

Fonte: http://www.theplaces.com.br/skate/historia/#sthash.yasAKGex.dpuf

      • Slackline


É um esporte que é novidade no Brasil e tem como objetivo se equilibrar em cima de uma corda de 60 a 100 cm do chão. É um esporte que exige força, equilíbrio e concentração. Você pode usar esse esporte como um aquecimento antes de praticar outra modalidade. Pode ser praticado também como treino principal e conforme for praticando, poderá até arriscar umas manobras.

Fonte: http://www.mulherbeleza.com.br/corpo/esportes-alternativos-manter-forma/

      • Stand up paddle


Esse é um esporte que mistura remo e surf e tem sido bastante praticado pelas mulheres. É preciso ter equilíbrio e força para pratica-lo. É um esporte de modalidade aeróbica e queima muita caloria, tonificando músculos das pernas, braços e abdômen.



Fonte: http://www.mulherbeleza.com.br/corpo/esportes-alternativos-manter-forma/





domingo, 8 de novembro de 2015

JOGOS NA ALFABETIZAÇÃO



O lúdico no trabalho com a alfabetização no desenvolvimento da criança proporciona por inúmeras maneiras  a criança a aprender de forma motivada e significativa. 



Pois no processo de   alfabetização, e muitas vezes o brincar tem sido deixado de lado devido em decorrência da antecipação do ensino da leitura e escrita, sendo que estão em  idade em que o brincar é de fundamental importância e possuem grande validade no âmbito escolar, pois contribui significativamente, de forma a estimular a criança à aprendizagem da língua escrita



O  planejamento da atividade e a base teórica não podem faltar ao utilizar o lúdico como recurso de ensino aprendizagem.

ROTINA PARA ALUNO AUTISTA


A rotina é um momento muito importante para os alunos independente da situação, pois organiza todas as atividades por etapas e deixam da ansiedade, ocorrendo melhora das atividades do dia.Neste exemplo esta rotina foi organizada para um aluno autista da sala de alfabetização, utilizou figuras, que foram trabalhadas com o aluno,  representam momentos diversificados da aula e da  na escola, a fixação no armário frente a carteira do aluno com o proposito da visão restritas  dos afazeres do dia escolar.

INTERAGIR E BRINCAR


 Para o bom desenvolvimento infantil,  sabemos  que o brincar é fundamental. “A criança fala muito através da brincadeira e por  meio dela se torna  ser humano,  indivíduo que se expressa, se desenvolve, se integra.


As pessoas com deficiências perdem de se desenvolverem devido sua restrição e por equívocos e excesso de cuidado deixam de brincar.



O AEE traz  brincadeira,  num momento prazeroso que acontece para muito além do brinquedo material. O corpo neste momento  pode (e deve) ser o motor da brincadeira. “A criança desenvolve a criatividade, a autonomia, a tomada de decisão, a relação com ela mesma, a expressão corporal”,  segundo a psicomotricista Cristiane.


A psicomotricista ressalta ainda que a interação com o adulto por meio do brincar é muito importante, sem impor formas de brincar à criança.

Fonte: http://www.opovo.com.br/app/opovo/cotidiano/2014/07/26/noticiasjornalcotidiano,3288444/por-que-e-importante-brincar-e-interagir-com-os-filhos.shtml

Postagem em destaque

CURSO: ESTÍMULO NA SALA DE AULA

Curso de extensão universitária. 100 horas 3 x de 135 reais Tema: O estímulo na sala de aula Ligue: 11 999659448 FONTE:  http://ww...